img020

Arquivo do artista, 1990

img022

Ele não acha mais graça no público das próprias graças, Livro de artista, offset sobre papel jornal, NAC/Funarte, 1979

img021

Homem destruindo foguete, técnica mista sobre madeira, 44x54cm, 1965. Acervo MAAC

Antonio Dias

Antonio Manuel Lima Dias
Campina Grande-PB, 1944. Vive e trabalha em Colônia, Alemanha.

Artista visual. Aprende com o avô as técnicas elementares do desenho. Muda-se para o Rio de Janeiro (1957-63), estuda gravura com Oswaldo Goeldi, no Atelier Livre de Gravura da ENBA, e trabalha como desenhista de arquitetura e artista gráfico. Em 1971, edita o disco Record: the space between e inicia a série The illustration of art. Em 1978, junto a Paulo Sérgio Duarte, Chico Pereira e Raul Córdula, funda o Núcleo de Arte Contemporânea (NAC/UFPB, João Pessoa). Em 1992, torna-se professor da Sommerakademie für Bildende Kunst (Salzburgo/Áustria), e, no ano seguinte da Staatliche Akademie der Bildenden Künste (Karlsruhe/Alemanha). Exp. ind.: Galeria Houston-Brown (Paris/França, 1965); Städtische Galerie im Lenbachhaus (Munique/Alemanha, 1984); Taipei Fine Arts Museum (Taiwan/China, 1985); Fundação Ursula Blickle (Kraichtal/Alemanha, 1994); Institut Mathildenhöhe (Darmstadt/Alemanha, 1994); Antologia 1965-1999(Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa/Portugal, 1999); Antonio Dias: O país inventado (MAM-Bahia; Casa Andrade Muricy, Curitiba; MAM São Paulo; MAM Rio de Janeiro; Museu Vale do Rio Doce, Vila Velha-ES; Espaço ECCO, Brasília; MAC, Fortaleza; MAMAM, Recife, 2000-2002); Múltiplos (Galeria Mercedes Viegas, Rio de Janeiro, 2002); Antonio Dias (Galeria Sílvia Cintra, Rio de Janeiro); Antonio Dias 2 + 2 (Galeria Artur Fidalgo, Rio de Janeiro, 2004); Galeria Luisa Strina (São Paulo, 2005); Trabalhos recentes/Recent works (Paulo Darzé Galeria, Salvador, 2007). Exp. col.: Opinião 65 (MAM, Rio de Janeiro, 1965); IV Bienal de Paris [Prêmio pintura] (1965); Prêmio Jovem Desenho Brasileiro (MAC/USP, 1965). Vive em Paris (1966-68), e em 1968 muda-se para Milão. Participa de Dialogue between the East and the West (Museu Nacional de Arte Moderna, Tóquio/Japão, 1968). Tem obras adquiridas pelo MoMA (Nova York/EUA). Expõe na6th International Exhibition (Guggenheim Museum, Nova York, 1971); recebe Bolsa da J. Simon Guggenheim Foundation (Nova York), e o prêmio da International Exhibition of Original Drawing (Rijeka, 1972). Em 1977 viaja para Índia e Nepal, onde estuda técnicas de produção artesanal de papel, e produz o álbum Trama. Participa da 39ª Biennale di Venezia e da XVI Bienal Internacional de São Paulo (1980). Participa das mostras An international survey of recent painting and sculpture (MoMA); A generation of italian art (Finlândia, 1984), eProspect 86 (Kunstverein, Frankfurt/Alemanha, 1986). Bolsista do DAAD (Berlim/Alemanha, 1988). A Staatliche Kunsthalle Berlim, apresenta seus trabalhos em papel. Muda-se para Colônia, Alemanha, em 1989. Participa das exposições Gegenwart/Ewigkeit (Martin-Gropius-Bau, Berlim, 1990); Bilderweit brasilien (Kunsthaus, Zurique/Suíça, 1992); Latin american artists in the twentieth century (Ludwig Museum, Colônia, e no MoMA, 1992); XXII Bienal de São Paulo (1994); New acquisitions (Ludwig Museum, Colônia, 1996); Re-aligning vision: Alternative currents in South American drawing (Museo del Barrio, Nova York, 1997); XXIV Bienal de São Paulo (1998); The Costantini Collection (MAM, Rio de Janeiro, 1998); Poéticas da cor (Centro Cultural Light, Rio de Janeiro, 1998); Moderno e contemporâneo na arte brasileira (MAM, São Paulo, 1998); Global conceptualism: points of origin, 1950’s-1980’s (Queens Museum of Art, Nova York, e Walker Art Center, Mineápolis/EUA); Das vanguardas ao fim do milênio (Culturgest, Lisboa, 1999); MIT List Visual Arts Center (Massachu-setts/EUA), e Miami Art Museum (Miami/EUA, 2000);Antonio Dias na Coleção João Sattamini (MAC, Niterói, 2000); Heterotopías: Medio siglo sin lugar, 1918-1968 (Museu Reina Sofia, Madri/Espanha, 2000); Spanning an entire ocean (Culturgest, 2000); Mostra do Redescobrimento (MASP, 2000); Icon+Grid+Void: Art of the Americas from The Chase Manhattan Collection (Americas Society Art Gallery, Nova York, 2000); Arte Conceitual e conceitualismos: Anos 70 (MAC/USP, 2000); Experiências/Experiences (Museum of Modern Art, Oxford/Inglaterra, 2001); Antonio Dias, Nelson Felix (Celma Albuquerque Galeria de Arte, Belo Horizonte); Lucio Fontana – A ótica do invisível (CCBB, Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília, 2001); Identidades (MAM, Rio de Janeiro); Paralela – A contemporary show parallel to the XXV Bienal (São Paulo, 2001);  Atelier Finep (Paço Imperial, Rio de Janeiro); Paralelos (MAM, Rio deJaneiro, 2002); Aproximações do espírito Pop 1963-1968 (MAM, São Paulo); Fronteras-Limites – Bordes/Grenzen (Universidad Arcis/DAAD, Santiago/Chile, 2003); Beyond geometry: experiments in form 1940’s-70’s (Los Angeles County Museum of Art, EUA); Inverted utopias: Avantgarde art in Latin América (Museum of Fine Art of Houston, EUA); Arte contemporânea brasileira nas Coleções do Rio (MAM, Rio de Janeiro); MoMA at el Museo: Latin american and Caribbean art from the collection of The Museum of Modern Art (Museo del Barrio, Nova York, 2004); Arte em Metrópolis (Instituto Tomie Ohtake, São Paulo); Artecontemporânea (Galeria Mercedes Viegas); O Corpo na arte contemporânea (Instituto Itaú Cultural, São Paulo); Múltiplos(Galeria Arte 21, Rio de Janeiro, 2005); Dor, forma e beleza (Estação Pinacoteca, São Paulo);Entre a palavra e a imagem (ECCO, Brasília); Sites of sculpture in modern Brazil (Henry Moore Institute, Leeds/Inglaterra); Tropicália: A revolution in brazilian culture (Barbican Center, Londres, 2006); Face to face: Part 1 (The Daros Collections, Zurique/Suíça); Arte e ousadia: O Brasil na Coleção João Sattamini (MASP, 2007).Em 2007, a UFCG (Campina Grande), através do professor e artista Júlio Leite, lhe concede o título de Doutor Honoris Causa. Em 2010 o artista se prepara para mostra individual na Pinacoteca de São Paulo e da Bienal Internacional de São Paulo.

fonte: [http://www.antoniodias.com]

Galeria Houston-Brown (Paris/França, 1965); Städtische Galerie im Lenbachhaus (Munique/Alemanha, 1984); Taipei Fine Arts Museum (Taiwan/China, 1985); Fundação Ursula Blickle (Kraichtal/Alemanha, 1994); Institut Mathildenhöhe (Darmstadt/Alemanha, 1994); Antologia 1965-1999(Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa/Portugal, 1999); Antonio Dias: O país inventado (MAM-Bahia; Casa Andrade Muricy, Curitiba; MAM São Paulo; MAM Rio de Janeiro; Museu Vale do Rio Doce, Vila Velha-ES; Espaço ECCO, Brasília; MAC, Fortaleza; MAMAM, Recife, 2000-2002); Múltiplos (Galeria Mercedes Viegas, Rio de Janeiro, 2002); Antonio Dias (Galeria Sílvia Cintra, Rio de Janeiro); Antonio Dias 2 + 2 (Galeria Artur Fidalgo, Rio de Janeiro, 2004); Galeria Luisa Strina (São Paulo, 2005); Trabalhos recentes/Recent works (Paulo Darzé Galeria, Salvador, 2007).

Opinião 65 (MAM, Rio de Janeiro, 1965); IV Bienal de Paris [Prêmio pintura] (1965); Prêmio Jovem Desenho Brasileiro (MAC/USP, 1965); Gegenwart/Ewigkeit (Martin-Gropius-Bau, Berlim, 1990); Bilderweit brasilien (Kunsthaus, Zurique/Suíça, 1992); Latin american artists in the twentieth century (Ludwig Museum, Colônia, e no MoMA, 1992); XXII Bienal de São Paulo (1994); New acquisitions (Ludwig Museum, Colônia, 1996); Re-aligning vision: Alternative currents in South American drawing (Museo del Barrio, Nova York, 1997); XXIV Bienal de São Paulo (1998); The Costantini Collection (MAM, Rio de Janeiro, 1998); Poéticas da cor (Centro Cultural Light, Rio de Janeiro, 1998); Moderno e contemporâneo na arte brasileira (MAM, São Paulo, 1998); Global conceptualism: points of origin, 1950’s-1980’s (Queens Museum of Art, Nova York, e Walker Art Center, Mineápolis/EUA); Das vanguardas ao fim do milênio (Culturgest, Lisboa, 1999); MIT List Visual Arts Center (Massachu-setts/EUA), e Miami Art Museum (Miami/EUA, 2000);Antonio Dias na Coleção João Sattamini (MAC, Niterói, 2000); Heterotopías: Medio siglo sin lugar, 1918-1968 (Museu Reina Sofia, Madri/Espanha, 2000); Spanning an entire ocean (Culturgest, 2000); Mostra do Redescobrimento (MASP, 2000); Icon+Grid+Void: Art of the Americas from The Chase Manhattan Collection (Americas Society Art Gallery, Nova York, 2000); Arte Conceitual e conceitualismos: Anos 70 (MAC/USP, 2000); Experiências/Experiences (Museum of Modern Art, Oxford/Inglaterra, 2001); Antonio Dias, Nelson Felix (Celma Albuquerque Galeria de Arte, Belo Horizonte); Lucio Fontana – A ótica do invisível (CCBB, Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília, 2001); Identidades (MAM, Rio de Janeiro); Paralela – A contemporary show parallel to the XXV Bienal (São Paulo, 2001);  Atelier Finep (Paço Imperial, Rio de Janeiro); Paralelos (MAM, Rio deJaneiro, 2002); Aproximações do espírito Pop 1963-1968 (MAM, São Paulo); Fronteras-Limites – Bordes/Grenzen (Universidad Arcis/DAAD, Santiago/Chile, 2003); Beyond geometry: experiments in form 1940’s-70’s (Los Angeles County Museum of Art, EUA); Inverted utopias: Avantgarde art in Latin América (Museum of Fine Art of Houston, EUA); Arte contemporânea brasileira nas Coleções do Rio (MAM, Rio de Janeiro); MoMA at el Museo: Latin american and Caribbean art from the collection of The Museum of Modern Art (Museo del Barrio, Nova York, 2004); Arte em Metrópolis (Instituto Tomie Ohtake, São Paulo); Artecontemporânea (Galeria Mercedes Viegas); O Corpo na arte contemporânea (Instituto Itaú Cultural, São Paulo); Múltiplos(Galeria Arte 21, Rio de Janeiro, 2005); Dor, forma e beleza (Estação Pinacoteca, São Paulo);Entre a palavra e a imagem (ECCO, Brasília); Sites of sculpture in modern Brazil (Henry Moore Institute, Leeds/Inglaterra); Tropicália: A revolution in brazilian culture (Barbican Center, Londres, 2006); Face to face: Part 1 (The Daros Collections, Zurique/Suíça); Arte e ousadia: O Brasil na Coleção João Sattamini (MASP, 2007)

International Exhibition of Original Drawing (Rijeka, 1972);

Buscar outros artistas

Log in with your credentials

Forgot your details?