img081
Foto de Rodolfo Athayde
img082
S/T, óleo sobre madeira, 160x220cm, 1973. Acervo Banco do Brasil
img083
Litografia, 32x24cm, 2000

Flávio Tavares

Flávio Roberto Tavares de Melo
João Pessoa-PB, Brasil, 1950. Vive e trabalha em João Pessoa.

Pintor e desenhista. Cursos livres no Setor de Artes da UFPB (João Pessoa, 1963-66). Ministrou cursos e palestras na Guiana Francesa, Estados Unidos, Alemanha e Israel. Exposições em Brasília, Recife, Rio de Janeiro, São Paulo, João Pessoa, Porto Alegre, Salvador, Olinda; e, no exterior, em Lyon, Grenoble e Paris (França), Berlim e Hamburgo (Alemanha), Novo México e Washington (EUA), Quito (Equador), Jerusalém (Israel), Nova Delhi (Índia), Porto (Portugal) e Buenos Aires (Argentina). Obras em acervos do Brasil e exterior. Em 2005 foi lançado o livro Flávio Tavares – Obras escolhidas (FIC Augusto dos Anjos/Governo da Paraíba), com texto de Elvira Vernaschi (ABCA/AICA).

“Nascido em João Pessoa, Flávio Tavares, neto e filho de artistas – seu avô paterno Pedro Damião era um notável fotógrafo e seu pai Arnaldo, além de renomado médico, dedicava-se, nas horas vagas, ao desenho – a bico de pena –, tendo ilustrado diversos livros e, ao longo de décadas, produzido centenas de vinhetas para jornais do nosso Estado. Em criança Flávio já mostrava genuína intimidade com o desenho e a pintura sendo, inicialmente, orientado pelo Dr. Arnaldo e, desde então, não parou de exercitar-se, de indagar e experimentar. Freqüentou o curso de pintura oferecido pelo artista Raul Córdula, no Setor de Arte da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e, ainda aos 18 anos, passou a absorver os ensinamentos do pintor e gravador Hermano José que àquela época já era um laureado artista. Tavares terminara seus estudos secundários e logo ingressara no curso de Sociologia da UFPB, o qual abandonaria ainda no terceiro ano para dedicar-se em tempo integral ao ofício artístico. Tinha pouco mais de vinte anos e já havia exposto em Recife, Rio de Janeiro e São Paulo onde, em 1976, lançou o álbum de desenhos O Pavão sem mistériocom texto de apresentação do cartunista Ziraldo e, nesse mesmo período, estudaria pintura nos Estados Unidos (Universidade de Yale; Connecticut e Simon Rock College onde, inclusive, ministrouworkshop), e em Caiena (Guiana Francesa). Em todos esses lugares aproveita para realizar exposições. A seguir, ingressa no mercado de arte da Alemanha, pelas mãos do casal Jürgen e Maria do Carmo Vogt, ela paraibana e presidente do Instituto Cultural Teuto-Brasileiro em Berlim e que, em breve, se tornaria amiga e agenciadora das obras de Flávio Tavares na Alemanha. Neste país, sua primeira exposição individual ocorreu em 1981, em Berlim, na Galeria Niebuhr, a partir da qual, viria a conseguir não só um substancial mercado de arte, mas ver surgir, pouco a pouco, um expressivo número de colecionadores das suas obras, sendo o Sr. Sammlung Stahl um dos primeiros. Poucos anos mais tarde, exporia em Jerusalém (Israel) e, desde então, voltaria a realizar mais quatro mostras na Alemanha contando sempre com o apoio do casal Vogt, a quem Flávio atribui fundamental importância para a difusão de suas obras em terras germânicas. Laureado por diversas vezes, Flávio participou de incontáveis e importantes mostras nas grandes cidades do Brasil e do mundo, incursionando amplamente pelo universo das artes, tendo se expressado com sucesso nas mais diversas técnicas (pintura, desenho, aquarela, escultura em pedra e madeira, gravura em metal, xilo e litogravura) e, não bastasse tudo isso, pintou cenários para peças teatrais além de ter ministrado vários cursos, workshops, palestras para um sem número de estudantes de arte e, ainda, produzido mais de dez painéis e murais na Paraíba e em outros estados do Nordeste brasileiro.” (Eudes Rocha Jr., ABCA/AICA)

fonte: [livro Flávio Tavares – Obras escolhidas, FIC, 2005]

Buscar outros artistas

Log in with your credentials

Forgot your details?